domingo, 13 de novembro de 2011

Medo do Inferno


Verdadeiramente temível é o inferno, essa separação absoluta da graça de Deus. Criados com a natureza voltada para o bem supremo e não obstante forçados, pela própria escolha, a permanecer dele afastado. É desta disparidade que vem o sofrimento absoluto representado pelo inferno, qual seja: ter a natureza voltada para o bem, mas estar irremediavelmente preso ao pecado e à morte.
            Verdadeiramente temível é o inferno, e devemos temê-lo. Quem não o teme, ou dele está próximo ou já é santo, ou ainda desconhece a gravidade do pecado. Quem se compraz no pecado, rejeita de modo abominável e abjeto a graça de Deus e a salvação em Cristo Jesus e desse modo já é um sério candidato ao inferno. De fato, não há maior tragédia para um homem do que se comprazer em seus pecados. Maldição gigantesca é pecar com prazer, pois tal prazer nos condiciona ao pecado e aos poucos nos mata. Cada pecado cometido com prazer é um passo para o inferno, que se concretiza finalmente quando chega a morte corporal do pecador impenitente. Enquanto se está vivo, por maior que seja a abominação na qual se possa cair, a graça de Deus está sempre presente, pois neste mundo a graça é abundante, mas ao morrer o condenado afasta-se definitivamente da graça, pois esta foi sua terrível e triste escolha. Seria injusto da parte de Deus continuar favorecendo com a graça, quem a rejeitou livre e reiteradamente, pois Deus respeita o nosso livre arbítrio.
            Pensai bem, vós que não acreditais e nem temeis o inferno. O inferno não é vingança de Deus, mas sim sua justiça bem como o próprio estado daquele que se decide por abandonar Deus definitivamente. Portanto, tomemos cuidado com nossas ações e com nosso estado de espírito, para que nosso coração não se endureça e se torne impenetrável à graça do Altíssimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário