terça-feira, 19 de setembro de 2017

A ORDEM DO MEU LAR

           Fora de minha casa encontro músicas imorais, mas não em minha casa; fora de minha casa o centro dos ambientes é uma televisão ou uma tela de computador, na minha casa o centro é o Sagrado Coração; fora de casa vejo muita indecência, imodéstia, obscenidades, mas em casa não vejo nada disso; neste caótico mundo exterior vejo muita irreverência e blasfêmia, dentro do meu lar ouço orações, vejo Deus ser amado acima de tudo (apesar de nossas fraquezas e limitações); fora de casa vejo a revolução, a desobediência, em minha casa vejo reinar a legítima autoridade.
            Estamos longe da perfeição que um Deus tão generoso merece, mas não posso deixar de testemunhar o que Deus fez em nossas vidas, pois ao descrever meu lar não quero louvar a nossa família, mas dar glória a Deus e ajudar na salvação das almas. Este lar que a Graça de Deus me concedeu é um oásis de ordem no meio do caos diabólico do mundo moderno; sinal de que Deus o sustenta, sinal da força divina, pequena embarcação que paira, defendida pelo Onipotente, acima de vagas gigantescas.
            Há muitos outros lares católicos que se esforçam para cumprir o que ordena a Santa Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo. Rezemos a Deus, pela intercessão da Santíssima Virgem Imaculada, para que perseverem sendo luz nesse mundo tenebroso. Quantos aos outros lares rezemos para que se convertam.
            Sem Deus já teríamos naufragado, mas rezemos para que Deus nos preserve, nos mantenha na perseverança, na Fé, Esperança e Caridade, para sua maior Glória. Ave Maria!

domingo, 17 de setembro de 2017

ABJURAÇÃO DOS ERROS QUE PROFESSEI NO PASSADO, BEM COMO DOS ATOS ERRADOS QUE PRATIQUEI

        Gostaria de declarar publicamente que me arrependo de, em certos períodos de minha vida, ter professado ideias contrárias à Fé, principalmente o comunismo, o agnosticismo e o espiritismo. Arrependo-me também de tudo aquilo que fiz, disse, professei ou propaguei que contraria a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, a Igreja de Deus, a única verdadeira.
      Declaro também que pretendo servir à Igreja e não me afastar nunca mais dos seus ensinamentos; quero amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a mim mesmo por amor a Deus; consagro-me à Nossa Senhora peço a Deus que me conduza ao Paraíso.

     A seguir gostaria de fazer uma protestação (com pequenas adaptações minhas) contida no livro Filoteia de São Francisco de Sales, parte 1 capítulo 20:

     Eu, Welder Walmor Ayala, muito indigna criatura de Deus, faço a protestação seguinte na presença de Sua Divina Majestade e de toda a corte celeste:
     Depois de ter considerado bem a imensa bondade de Deus, que me criou, que me conserva e sustenta; que me livrou de tantos males e concedeu tantos benefícios; depois de ter meditado a sua infinita misericórdia, que com tanta brandura tolerou meus pecados, que me chamou a si tantas vezes, por inspirações tão doces e frequentes, que com tanta longanimidade esperou a minha conversão, apesar das muitas oposições que tenho feito, por minha ingratidão, infidelidade, retardação da penitência e desprezo de suas graças; depois de ter considerado bem a profanação, que fiz tão repetidas vezes de minha alma e das graças que recebi no santo batismo, onde me devotei e consagrei a Deus, pelas promessas que então fizeram por mim; enfim, entrando em mim mesmo e com o espírito e coração consternado, perante Deus, eu me reconheço e confesso culpado e inteiramente convencido do crime que cometi, de lesa-majestade divina e da morte de Jesus, que só suspirou na cruz por causa dos meus pecados; deste modo eu confesso que justamente mereci as penas eternas.
      Mas, depois de ter detestado os meus pecados de todo o meu coração, eu me volto hoje para o trono do Pai das misericórdias, dizendo: Perdão, meu Deus, perdão. Eu vos suplico a remissão inteira dos meus pecados, em nome de Jesus Cristo, vosso Filho, que morreu na cruz para me salvar. Pondo nele toda a minha esperança, eu renovo hoje, ó meu Deus, a profissão de fidelidade que vos prometi no batismo. Agora, como então, eu renuncio ao demônio, ao mundo e à carne, e detesto para o resto de meus dias todas as suas obras, com suas pompas e concupiscências, comprometendo-me a vos servir e amar durante a minha vida, ó meu Deus, infinitamente bom e misericordioso. Sim, meu Deus, com esta intenção eu vos consagro a minha alma com todas as suas potências, o meu coração com todos os seus afetos, o meu corpo com todos os seus sentidos, protestando firmemente que não me quero servir de nada daquilo que tenho, contra a vontade de vossa divina majestade, e entregando-me com toda a submissão que vos deve uma criatura fiel. Mas - ah! - se por malícia humana eu for algum dia infiel às vossas graças e às minhas boas resoluções, eu protesto que nada negligenciarei, com a graça do Espírito Santo, para levantar-me imediatamente de minha queda.
     Eis aí a minha resolução inabalável e a minha intenção para sempre irrevogável, sem reservas ou exceções de qualidade alguma. Faço esta protestação na divina presença de meu Deus, em vista da Igreja Triunfante e em face da Igreja Militante, minha mãe. Dignai-vos, ó Deus eterno de bondade e misericórdia infinita, Pai, Filho e Espírito Santo, receber em odor de suavidade este sacrifício, que vos faço, de tudo o que sou; e, como me destes a graça de vo-lo oferecer, dai-me também as graças necessárias para cumprir fielmente as suas obrigações. Ó meu Deus, vós sois meu Deus, o Deus de meu coração, o Deus de meu espírito, o Deus de toda a minha alma; eu vos adoro e vos amo e por toda a eternidade vos quero adorar e amar. Viva Jesus! Viva Cristo Rei! Salve Maria!

Assinado: Welder Walmor Ayala